A série Habitar/Habitat do SESCTV sobe o morro para conhecer a favela carioca. Vai às comunidades do Vidigal, da Rocinha e da Mangueira para entender esta forma de morar que se desenvolveu como uma árvore, cujos galhos vão se abrindo e tomando os espaços ao redor.

A favela foi a porta de entrada do migrante, no processo de urbanização brasileira. O abrigo dos que buscavam acesso aos serviços que a cidade oferecia. Tornou-se um conglomerado sócio-espacial orgânico, em constante movimento, em oposição à cidade já formada.

Sem ter um teto para morar, ou como pagar aluguel, pessoas fixaram-se em áreas de risco, construindo sem orientação, em locais sem estrutura. Por trás de casas sem acabamento externo, escondem-se moradias com um visual que surpreendem os desavisados.

A favela cresceu à margem da cidade, até o ponto em que o problema não podia mais ser ignorado. Atingiu um tamanho que não era mais possível removê-la para as periferias. Tem início uma segunda fase das favelas cariocas, com programas de urbanização e melhorias do espaço.

Moradores contam histórias de amizade, que nortearam as relações na comunidade. Mas a favela do futuro pode não ser mais a mesma. A especulação imobiliária, o avanço do mercado, põe em risco a rede de solidariedade que marcou a ocupação dos morros.

Neste episódio: Beto Dorneles (músico), Marcelo Burgos (professor), Luciano Vidigal (cineasta), Cláudio R. Batista, Maria Helena de Souza, João Tavares de Souza, João Batista, Aloisio Ferreira Meneres, Marco Antonio de Lua, Magna Maria Teixeira.